Eduardo Pazuello vai perder o foro privilegiado de ministro
Tony Winston/MS
Eduardo Pazuello vai perder o foro privilegiado de ministro

Com sua saída do comando do Ministério da Saúde , o general Eduardo Pazuello vai perder a prerrogativa de foro privilegiado decorrente do cargo e uma investigação contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF) pode ir para a primeira instância. A maior chance é que ela seja encaminhada à Justiça Federal de Brasília.

Nesta segunda-feira (15) o cardiologista  Marcelo Queiroga foi confirmado para assumir a pasta após receber convite do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e aceitá-lo. A expectativa é que a nomeação seja publicada nesta terça-feira (16) no Diário Oficial da União.

O inquérito contra Pazuello foi aberto no Supremo a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). A investigação apura a conduta do ministro diante do colapso na saúde pública de Manaus, que enfrentou a escassez de oxigênio medicinal em hospitais.

Entre as supostas atitudes apuradas está a possível omissão do militar na tomada de providências para conter a emergência sanitária em Manaus. O relator do processo é o ministro Ricardo Lewandowski . Cabe a ele decidir se o caso sairá da Suprema Corte e, nesse caso, para onde ele vai.

Em fevereiro, Lewandowski ordenou que a Polícia Federal ampliasse a investigação. O ministro determinou que a autoridade policial colhesse depoimentos de funcionários do ministério e das secretarias de Saúde do Amazonas e da capital do estado.

Os agentes também analisam documentos com informações sobre transporte de oxigênio e gastos com distribuição de medicamentos sem eficácia comprovada para tratamento precoce contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2). O ministro negou qualquer omissão da União na crise sanitária.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários