Bolsonaro participa de evento usando máscara
Reprodução
Bolsonaro participa de evento usando máscara

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou pela primeira vez após o  ex-presidente Lula (PT) se pronunciar  sobre a anulação de suas condenações na Lava Jato, nesta quarta-feira (10), e mudou o teor da fala em relação à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Bolsonaro , ao lado de ministros, sancionou projetos de lei que ampliam a capacidade de compra de vacinas . Segundo o chefe do executivo, até o momento, 270 milhões de doses foram adquiridas, todavia, apenas 4% da população foi vacinada até agora.

Quase que de maneira inédita, o presidente usou máscara antes e depois de discursar. Em sua fala no Palácio do Planalto, disse que o “Brasil está fazendo sua parte” acerca da aquisição de imunizantes, mas também defendeu o uso de medicamentos sem comprovação no combate à doença.

“Não existe um medicamento ainda com comprovação científica, mas muitos médicos afirmam que existe tratamento opcional, que deve ser buscado”, afirma Bolsonaro.

Você viu?

Ao comentar sobre os casos de Covid-19 no Palácio do Planalto, revelou que “mais de 200 pessoas foram contaminadas”, e citou a Cloroquina, Anita, Azitromicina e vitamina D como alguns dos medicamentos do ‘tratamento opcional’ usado por “quase todos”.

Até a última terça, o Brasil registrou mais de 268 mil mortes em decorrência do novo coronavírus, em um momento onde a pandemia registra seu pior momento no país.

Apesar disso, um dia depois do Brasil registrar novo recorde de óbitos por Covid-19, pediu a população que “confie no governo e no ministério da Saúde”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários