Ex-procurador da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol
Rodolfo Buhrer/La Imagem/Fotoarena/Agência O Globo)
Ex-procurador da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol

Um novo áudio do ex-procurador Deltan Dallagnol mostra que a juíza Gabriela Hardt , substituta de Sergio Moro como titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, se comprometeu em fazer avançar o caso do sítio de Atibaia envolvendo o ex-presidente Lula . A informação é do portal UOL .

Em uma mensagem enviada em um grupo de colegas de trabalho, o magistrado disse que conversou com Hardt e perguntou sobre o processo do petista. De acordo com Dallagnol, ele ouviu como resposta que o caso seria sentenciado, o que ocorreu menos de um mês depois.

Ainda segundo o ex-procurador da Lava Jato, Hardt mostrou uma pilha de papel, que era uma cópia das alegações finais da defesa de Lula no processo do sítio, com cerca de 1.600 páginas. A magistrada também teria dito que tinha outros "500 casos".

"Que horas eu vou fazer isso aqui? Só se eu vier aqui e trabalhar da meia noite às seis", teria afirmado a juíza. Após narrar a fala, Dallagnol diz que ela está sobrecarregada, mas que iria "sentenciar o sítio".

Em outros áudios vazados ao site The Intercept Brasil , Dallagnol e Moro teriam trocado informações para dar mais força às investigações contra Lula. A prática é avaliada como ilegal, já que Moro tinha a função de julgar as acusações, que eram elaboradas por Dallagnol.

Moro deixou o cargo de juíz em novembro de 2018 para assumir o ministério da Justiça e Segurança Pública no governo do presidente Jair Bolsonaro, mas foi demitido, em abril de 2020, após dizer que o presidente teria interferido na Polícia Federal (PF)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários