Ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro
Marcos Corrêa/PR
Ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro

O ministro Ricardo Lewandowski , do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou ao Tribunal de Contas da União (TCU) o acesso às mensagens de conversas vazadas entre o ex-ministro da Justiça Sergio Moro e procuradores da Operação Lava Jato . A permissão foi dada para o TCU investigar um possível conflito de interesses de Moro após a contratação dele pela Alvarez & Marsal, administradora judicial das empresas do grupo Odebrecht .

O ministro do TCU Bruno Dantas, relator do processo sobre Moro, acredita que as mensagens podem comprovar se o ex-juiz orientou a ação de procuradores da força-tarefa em operações contra a construtora brasileira.

Segundo Dantas, essas mensagens teriam ajudado a levar a empresa a uma situação de insolvência, sendo que hoje a Odebrecht é administrada pela empresa em que Moro trabalha. "O mesmo agente teria atuado nos 'dois lados do balcão'", escreveu Dantas em seu despacho ao se referir ao ex-ministro.

As mensagens já tinham sido disponibilizadas à defesa do ex-presidente Lula, que tem enviado relatórios semanais ao  STF para questionar procedimentos de Moro e dos procuradores em ações contra ele.

Ainda na avaliação do ministro do TCU, a contratação de Moro "no mínimo peculiar e constrangedora". Para ele, é necessário afastar a hipótese de o ex-ministro estar sendo remunerado por "informações privilegiadas que possa repassar" sobre processos envolvendo a Odebrecht.

"É elevadíssimo o risco de conflito de interesse na atuação desse profissional [Moro]. Em um primeiro momento, contribui para a situação econômico-financeira atualmente vivenciada pela empresa. Na sequência, passa a auferir renda junto à administradora judicial [Alvarez & Marsal] nomeada na recuperação judicial", escreveu Dantas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários