Presidente Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Saúde%2C Eduardo Pazuello
Reprodução/Youtube
Presidente Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

O ministro da Saúde , general Eduardo Pazuello , participou da live desta quinta-feira (7) do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e disse que o prazo para a imunização de 50% das pessoas dos grupos de risco da Covid-19 é até junho e o restante dessa parcela da população receberá a aplicação de vacinas até dezembro deste ano, com margem extra de quatro meses.

"O objetivo maior nosso é o controle da pandemia. Na hora que você controla a pandemia, as taxas de contaminação caem e a vida começa a voltar ao normal. Esse é o foco da nossa campanha de vacinação", disse o ministro.

O prazo foi dado após o  ministro participar de entrevista coletiva que deu detalhes sobre a medida provisória do governo federal que possibilita a aquisição de vacinas, insumos, bens e serviços de logística, tecnologia da informação e comunicação, além de treinamentos destinados à vacinação contra a Covid-19. Também foi anunciado acordo para compra de 100 milhões de doses da CoronaVac , vacina produzida pelo Instituto Butantan.

Durante a coletiva, o general não deu nenhuma previsão de quando a população estaria vacinada, mas disse que, em um cenário mais favorável, a imunização já começaria em 20 de janeiro. Isso dependeria, porém, de o Ministério da Saúde conseguir importar doses prontas de imunizantes.

Já no caso de produção nacional, esse prazo para início seria entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro. Por fim, no caso de houver o que Pazuello chamou de "percalços", esse período poderia ser adiado para o início de março.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários