Guilherme Boulos (PSOL) e Bruno Covas (PSDB)
Divulgação
Guilherme Boulos (PSOL) e Bruno Covas (PSDB)

A campanha do candidato à prefeitura de São Paulo,  Guilherme Boulos (PSOL), usou imagens antigas da cidade de São Paulo, para produzir um vídeo, que circula nas redes sociais, de ataque à gestão  Bruno CovasJoão Doria, ambos do PSDB, na capital paulista. Nas imagens, é possível observar que foram utilizadas imagens de uma estação de metrô lotada, que é de 2014, e uma outra de um ônibus que não circula mais na cidade, com o objetivo de falar do problema das enchentes. As imagens não foram captadas no período da pandemia do novo coronavírus ou na gestão de Bruno Covas ou João Dória.

A campanha do candidato do PSOL  Guilherme Boulos confirmou que o vídeo foi, de fato, produzido por eles, e reiterou que o uso das imagens antigas "é prática corrente em inserções eleitorais".

A nota começa atacando a reportagem e dizendo que ela "insinua de maneira desonesta que a inserção de TV mencionada apresenta fake news". Segundo a assessoria de Boulos "o que a peça faz é uma crítica política legítima e absolutamente pertinente ao abandono da cidade de São Paulo pelo PSDB, representado por Covas e Dória".

Confira a campanha que foi ao ar na sequência:

Você viu?


Imagens antigas que aparecem no vídeo

Ônibus utilizado na campanha é de 2016
Reprodução
Ônibus utilizado na campanha é de 2016


Imagem do metrô utilizada é de 2014
Reprodução
Imagem do metrô utilizada é de 2014

A assessoria de Bruno Covas  afirmou que a equipe jurídica à Justiça Eleitoral o direito de resposta. "Trata-se de propaganda de televisão, na modalidade de inserção, que passou a ser exibida na data de hoje, 21.11, que contém inverdade sabida, que atinge a pessoa do representante Bruno Covas, imputando-lhe um fato falso", afirma a petição do candidato assinada pelos advogados Ricardo Penteado e Eduardo Miguel Carvalho.

Na petição, os advogados ainda alegam que as cenas do metrô lotado, usadas na propaganda, foram tiradas de uma reportagem da TV Folha que registrou, em 20 de maio de 2014, na gestão de Fernando Haddad, o caos em uma estação do metrô por conta de uma greve de ônibus.

"Trata-se, portanto, de um engodo evidente, por meio do qual o eleitor paulistano está sendo ludibriado a julgar uma administração pelas falhas de uma outra", afirma a petição da campanha de Bruno Covas.

Confira a nota enviada pela assessoria de Guilherme Boulos na íntegra:

A reportagem insinua de maneira desonesta que a inserção de TV mencionada apresenta fake news. O que a peça faz, isto sim, é uma crítica política legítima e absolutamente pertinente ao abandono da cidade de São Paulo pelo PSDB, representado por Covas e Dória. O uso de banco de imagens é prática corrente em inserções eleitorais, e sua utilização serve para expressar problemas reais causados pela gestões tucanas, como as enchentes e a superlotação do metrô. Causa perplexidade que um detalhe técnico da peça seja questionado, e não os problemas reais que afetam milhões de pessoas todos os dias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários