Márcio França%2C candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSB%2C votou em colégio no Itaim Bibi
Fernanda Luz/Divulgação
Márcio França, candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSB, votou em colégio no Itaim Bibi

O candidato Márcio França à Prefeitura de São Paulo pelo PSB votou na manhã deste domingo (15), por volta das 10h30, e disse que criou um "segundo centro" durante sua campanha antes do 1º turno na corrida eleitoral. Ele votou na Escola Estadual Professora Ludovina Credidio Peixoto, no Itaim Bibi, acompanhado de sua mulher, Lúcia França, e do vice de sua chapa, o sindicalista Antonio Neto (PDT).

"Eu procurei encontrar um eixo que é mais ou menos um segundo centro. Tem o centro, que Bruno [Covas] ocupa, e a gente criou um segundo centro, que é uma novidade no Brasil", afirmou.

França ainda comentou que os candidatos Guilherme Boulos (PSOL) e Celso Russomanno (Republicanos) representam os extremos nas eleições municipais. "Você tem um extremo do PSOL, um extremo do Russomanno. E a gente fez um segundo centro aqui no meio, que eu tenho chamado de centro de bom senso", acrescentou. 

O ex-governador afirmou que Covas é o seu principal adversário na disputa e que Guilherme Boulos (PSOL) é seu maior oponente no primeiro turno.

Na última pesquisa Ibope feita antes do 1º turno, Covas apareceu com 38% dos votos válidos contra 16% de Boulos. França ficou com 13%, assim como Russomanno. Boulos, França e Russomanno estão em empate técnico dentro da margem de erro de três pontos percentuais. 

Depois de votar, o ex-governador seguiu para a PUC, para acompanhar o voto de de seu vice. "No segundo turno, os debates são muito decisivos, porque é um contra um. Você consegue ver quem é mais bem preparado, mais experiente, quem tem mais pulso", disse, sobre sua expectativa de disputar a Prefeitura contra Covas no segundo turno. 

Ele vai acompanhar a apuração com a mulher em sua residência, na Vila Clementino, próximo ao Parque Ibirapuera.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários