Em conversa no início da tarde da última sexta-feira (13), o presidente Jairo Bolsonaro  voltou a mostrar sua irritação com Hamilton Mourão e disse a auxiliares que o vice-president não "ajuda" o governo. A queixa foi por conta de uma entrevista do general em que ele avaliou a vitória de Joe Biden, nas eleições americanas, como "irreversível".

Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão
Alan Santos/PR
Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão


Nos últimos dias, Bolsonaro já havia demonstrado irritação com Mourão por conta da divulgação de documentos do Conselho Nacional da Amazônia. O órgão presidido pelo vice planejava desapropriar terras de desmatadores. O presidente classificou a ideia como "delírio", mas os dois conversaram e deram uma "trégua", que não durou 24 horas.

Em conversa, presidente e vice falaram sobre questões que os afastaram. A dupla chegou a conversar sobre uma suposta negociação que envolveria Mourão, o apresentador de TV Luciano Huck e o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro para uma aliança em 2022. A relação entre Moro, que deixou o cargo de Ministro neste ano, e o general sempre foi de cordialidade dentro do governo.


Mourão ressaltou sua lealdade com Bolsonaro e disse que não estava de olho em 2022. O general e Bolsonaro concordaram que há um movimento "diuturno" para "explodir" a relação entre eles e que eles precisavam conversar sempre para se acertarem.

Devido ao longo tempo da conversa, o presidente se surpreendeu com a decisão do vice de expor uma visão divergente sobre o quadro político americano, já que Bolsonaro não admite que Donald Trump, seu aliado, perdeu para Biden.

"Quando chegar a hora certa tomaremos a decisão que for melhor, não só para o País, mas pra mim e minha família", afirmou Mourão ontem ao ser questionado sobre o assunto na entrevista à Rádio Gaúcha.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários