Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski
Rosinei Coutinho/SCO/STF
Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski

O ministro Ricardo Lewandowski , do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um período de 48 horas para que o governo federal explique a  decisão de suspender os testes da CoronaVac , vacina chinesa do laboratório Sinovac Biotech produzida em parceria com o Instituto Butantan , ligado ao governo do estado de São Paulo.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu pela suspensão na noite desta segunda-feira (9) por conta da morte de um dos voluntários que fazia parte do grupo da fase 3 de testes do imunizante. O paciente, que tinha 33 anos,  cometeu suicídio e, portanto, seu óbito  não tem relação com a aplicação de doses.

Em decisão monocrática, Lewandowski pediu informações complementares sobre os critérios utilizados para que os estudos e experimentos do imunizante prossigam, bem como dados sobre o estágio de aprovação desta e demais vacinas contra a Covid-19.

Atualmente, há ações na corte que tratam do tema – três favoráveis à vacinação mais ampla e/ou obrigatória, e uma que pede a proibição da vacinação compulsória.

Até o momento, o ministro decidiu levar a plenário as três ações. Agora, cabe ao presidente da corte, o ministro Luiz Fux, marcar o julgamento.

    Veja Também

      Mostrar mais