Bruno Covas é atual prefeito de São Paulo e candidato à reeleição.
Andre Bueno/Câmara de São Paulo
Bruno Covas é o atual prefeito de São Paulo e candidato à reeleição.

Em 2021, conforme determinado por lei, o Plano Diretor de São Paulo deve passar por revisão. O ano será estratégico para o mercado imobiliário , que tem direcionado recursos à campanha de Bruno Covas (PSDB) . As informações foram dadas pela Folha de S. Paulo .

O Plano Diretor  estabelece diretrizes atreladas à forma como a cidade vai crescer e se desenvolver, representando uma discussão urbanística importante para São Paulo.

Covas é o atual prefeito da cidade e candidato à reeleição. A campanha dele já arrecadou quase R$ 13 milhões, sendo a maior parte desse valor oriunda do fundo partidário. Há cerca de R$ 1,8 milhão de pessoas físicas e, dessa quantia, ao menos R$ 880 mil foram doados por figuras ligadas a grupos de construtoras e incorporadoras , como executivos e proprietários.

A campanha de Bruno Covas é a mais rica de São Paulo. Na comparação com outros candidatos, por exemplo, nota-se que o valor que Covas recebeu do mercado imobiliário se aproxima do total que Celso Russomanno (Republicanos) arrecadou até o momento.

A gestão de Covas já fez acenos ao setor imobiliário . Em 2019, a proposta de revisão da Lei de Uso e Ocupação de Solo incluía demandas do mercado que foram atendidas parcialmente. Estava prevista, por exemplo, a possibilidade de prédios mais altos nos miolos dos bairros e flexibilização de algumas restrições a vagas de garagem, mas a lei foi judicializada e ainda não foi votada.

Por outro lado, o setor imobiliário não foi atendido quanto à demanda de obter descontos na outorga onerosa, taxa que se paga pelo direito de construir na cidade. As atuais regras das outorgas foram definidas pelo Plano Diretor de 2014, aprovado na gestão de Fernando Haddad (PT). 

Além de nomes do mercado imobiliário, o tucano também recebeu recursos expressivos de empresários de outros ramos. Confira abaixo a lista dos dez maiores doadores de Covas:

  • Jorge Mitre (Mitre Realty): R$ 230 mil
  • José Ricardo Rezek (Grupo Rezek): R$ 200 mil
  • José Roberto Lamacchia (Crefisa): R$ 200 mil
  • Rubens Ometto (Cosan): R$ 200 mil
  • Ernesto Zarzur (Eztec): R$ 175 mil
  • Elie Horn (Cyrela): R$ 100 mil
  • David Joseph Safra (Banco Safra): R$ 75 mil
  • André Kissajikian (AK Realty): R$ 50 mil
  • Antonio Setin (Setin): R$ 50 mil
  • Marcello Gambardella Arduin (Inloop): R$ 50 mil

    Veja Também

      Mostrar mais