flávio e queiroz
Reprodução/Instagram
Queiroz e Flávio Bolsonaro


Uma reunião entre os advogados do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o presidente Jair Bolsonaro para discutir dados sobre "irregularidades das informações constantes dos Relatórios de Investigação Fiscal" do  caso queiroz que citaram o filho mais velho do presidente ocorreu no dia 25 de agosto deste ano, mas não teve registro na agenda oficial.


Nessa mesma reunião estiveram presentes o ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, e ainda o diretor da Agência Brasileira de Inteligência, Alexandre Ramagem. O ministro do GSI também não registrou o encontro na agenda oficial. A reunião foi revelada pelo colunista Guilherme Amado, da revista Época, e confirmada pelo GLOBO.

Desde julho de 2018, Flávio Bolsonaro é investigado pelo Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) por suspeita de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A investigação começou a partir de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras. O trabalho identificou “movimentações financeiras atípicas” de 75 assessores ou ex-assessores de deputados estaduais do Rio.

Fabrício Queiroz, assessor de Flávio, foi um dos citados. Ele movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. A quantia era incompatível com a renda dele.

O MP suspeita que Queiroz operava um esquema de “rachadinha”. Ou seja, ele recolheria a maior parte dos salários dos colegas de gabinete, para repassá-lo ao filho do presidente.

    Veja Também

      Mostrar mais