a
ESTADÃO CONTEÚDO
'Se a mídia está criticando, é porque o discurso foi bom', diz Bolsonaro


O presidente Jair Bolsonaro e o governador interino do Rio de Janeiro, Cláudio Castro , trocaram elogios nesta quinta-feira (24). Bolsonaro não fez menção ao governador afastado Wilson Witzel , um ex-aliado que se tornou adversário, mas falou da "situação difícil" do Rio e disse que "se Deus quiser brevemente essa política será deixada para trás".


Na quarta-feira, por 69 votos a zero, a  Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) deu prosseguimento ao processo de impeachment de Witzel . Com isso, ele, que já estava afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), sofreu mais uma derrota e viu diminuírem as chances de voltar ao cargo. Witzel é acusado de desviar recursos públicos da saúde.

"Juntamente com a Assembleia Legislativa e nosso jovem governador, vamos buscar uma maneira de tirar o Rio de Janeiro da situação difícil em que se encontra. Nós somos um estado maravilhoso. E, se Deus quiser, brevemente, essa política será deixada para trás, e uma nova política aos poucos surgindo de modo que possamos nos orgulhar desse estado maravilhoso chamado Rio de Janeiro", disse Bolsonaro durante cerimônia para comemorar a inauguração de estruturas e a entrega de equipamentos à Superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Rio de Janeiro.

Em seu discurso, em referência à inauguração, Claudio Castro disse que era um "dia de agradecimento" e elogiou o presidente .

"O senhor tem cumprido a promessa de campanha que é cuidar da segurança das pessas", disse o governador interino.

    Veja Também

      Mostrar mais