Agência Brasil

bolsonaro de máscara
Jorge William/Agência O Globo
Em evento da igreja Assembleia de Deus em Brasília, Bolsonaro disse a evangélicos que "Brasil foi o que melhor se saiu" na crise

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado (19), em evento com cerca de 850 pessoas realizado pela igreja Assembleia de Deus, em Brasília, que o Brasil está na fase final de "uma grande provação" e "foi o que melhor se saiu" no combate à crise econômica provocada pela pandemia. Ele garantiu também que ainda neste ano o país voltará à normalidade.

Bolsonaro participou nesta manhã da Assembleia Geral Extraordinária da Convenção Evangélica das Assembleias de Deus do Distrito Federal e do Entorno, falando a grande plateia de evangélicos . "Passamos por uma grande provação. Ou melhor, estamos no final dela", disse, referindo-se à pandemia do novo coronavírus.

A catedral em que ocorreu o evento tem capacidade para cerca de 4 mil pessoas, mas devido a pandemia o público foi restrito a mil pessoas, um quarto do potencial máximo. Segundo a organização, cerca de 850 efetivamente compareceram, promovendo aglomeração, algo que ataca diretamente uma das principais recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) contra a disseminação do vírus. Até esta sexta-feira, o Brasil tinha  4.495.183 casos confirmados e 135.793 mortes .

"Na parte econômica, o Brasil foi o que melhor se saiu. Quis o destino também que na área de saúde, aos poucos, ao se deixar de politizar a única alternativa que nós tínhamos, começou-se a salvar mais vidas", acrescentou. Bolsonaro disse ainda que agradece a Deus pela coragem para enfrentar "quase tudo, quase o mundo todo" ao tomar posições.

"Tem uma passagem militar que vale para todos nós: pior que uma decisão mal tomada, é uma indecisão". O presidente disse que tomou decisões "mesmo sendo tolhido pelo Poder Judiciário".

"Se Deus quiser, voltaremos à normalidade ainda no corrente ano", afirmou. O presidente disse que recebeu críticas por visitar regiões do Distrito Federal no início da pandemia, mas justificou dizendo que em um momento difícil não pode se esconder em um palácio. "Ou estou na frente e junto ou não estou fazendo um bom papel. O meu trabalho, como chefe de Estado, é produzir o bem-estar e a felicidade para os seus", defendeu.

Acenando ao público evangélico, mais conservador , Bolsonaro disse lamentar o fato de muitas pessoas quererem destruir o ideal de família. "Aqui, nesse recinto, se prega diuturnamente a importância da família para todos nós. A família quase deixou de existir há poucos anos. O Brasil foi tomado pelo politicamente correto, onde tudo se podia desde que não se criticasse aqueles que queriam destruir a família", disse o presidente.

    Veja Também

      Mostrar mais