mulher de aparencia seria
Reprodução/Instagram
Monica Benicio

A viúva de Marielle Franco, Monica Benício, acusou o presidente Jair Bolsonaro de tentar "ocultar" tudo o que for relativo à execução da vereadora carioca e do motorista Anderson Gomes.

Em entrevista à ANSA, Benício disse que o mandatário "não tem nenhum compromisso com o esclarecimento" do crime, ocorrido em 14 de março de 2018, em pleno centro do Rio de Janeiro. Segundo a viúva de Marielle, Bolsonaro tenta "apagar e ocultar tudo o que for relativo" ao caso, atrás do qual "se esconde uma trama de milícias".

Leia também

Jair Bolsonaro tentou obstruir a investigação movendo seus fios dentro da Polícia Federal, por isso nos opusemos a que a investigação do assassinato passasse para âmbito federal", afirmou.

Dois acusados de envolvimento com milícias, Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, estão presos como principais suspeitos de serem os autores materiais da execução, mas as investigações ainda não chegaram nos mandantes.

"Bolsonaro nunca ocultou sua relação com as milícias, e as milícias estão envolvidas no assassinato, mas até agora não há elementos para afirmar que o presidente tem relação com o assassinato. Não podemos ser levianos nas acusações, temos que esperar as investigações", declarou Benício.

A viúva viajou por diversos países para denunciar a execução de sua companheira. Reuniu-se na Suíça com Michelle Bachelet, comissária da ONU para Direitos Humanos, e com o papa Francisco no Vaticano, acompanhada da mãe de Marielle, Marinete da Silva.

O encontro ocorreu em agosto de 2018, apenas cinco meses depois do crime. "Esse encontro foi muito importante para dar mais força a nossa luta", contou Benício, acrescentando que Francisco foi "muito solidário, demonstrando que é um homem comprometido com a Justiça".


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários