Aras Moraes Fachin Weintraub
Agência Brasil e STF
Augusto Aras, à esquerda, e Alexandre de Moraes, à direita

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Edson Fachin solicitou, nesta quinta-feira (28), que o ministro do STF Alexandre de Moraes e o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, se manifestem em até 24h sobre o  pedido de habeas corpus preventivo para o ministro da Educação Abraham Weintraub .

Leia também: Weintraub pode responder criminalmente por ataques ao STF em vídeo de reunião

Na noite desta quarta (27), o ministro da Justiça, André Mendonça, enviou o pedido para o STF. A ação ocorreu após o ministro do STF Alexandre de Moraes ter requisitado, na terça (26), que Weintraub preste depoimento em até cinco dias sobre as falas que fez contra a corte na reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que teve suas gravações divulgadas na última sexta-feira (22).

No vídeo da reunião, que ocorreu em 22 de abril, Weintraub afirma "eu por mim, colocava todos os vagabundos na cadeia , começando pelo STF [Supremo Tribunal Federal]".

O pedido de habeas corpus para Weintraub visa suspender o depoimento e impedir que ele seja preso ou sofra alguma medida cautelar caso se recuse a testemunhar.

Leia também: Veja frases mais impactantes do vídeo da reunião de Bolsonaro

Veja o despacho completo de Fachin  para Aras e Alexandre de Moraes

"Tendo em vista a relevância da matéria, oficie-se à autoridade coatora, Ministro Alexandre de Moraes, relator do Inquérito n.o 4.781, a fim de que apresente as informações que entender pertinentes, e, abra-se vista à Procuradoria-Geral da República, para se manifestar no prazo de até 24 horas", escreveu o ministro sobre o habeas corpus de Weintraub .

    Veja Também

      Mostrar mais