reunião ministerial
undefined
54% acreditam em Sérgio Moro, que acusou o presidente de interferir na chefia da PF.

Para 61% dos brasileiros que assistiram o vídeo da  reunião ministerial, do dia 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro quis interferir na Polícia Federal deliberadamente. Os números são da pesquisa Datafolha.

Ainda segundo a pesquisa, 76% das pessoas que viram o vídeo acreditam que as falas do presidente durante a reunião foram inadequadas, por conta dos 33 palavrões usados em seu discurso.

Leia mais:  Bolsonaro diz que "amigo do Bope" é sua "fonte particular de informação"

54% acreditam em Sérgio Moro, que acusou o presidente de interferir na chefia da PF.

32% dos brasileiros acreditam na história contada por Bolsonaro, de que ele se referia à mudança da segurança pessoal de sua família ao dizer que iria "interferir sim" e que demitiria quem fosse necessário para ter essa proteção.

Sobre as regiões do Brasil em que o presidente mais tem apoio, Norte e Centro-Oeste, com 14%, tendem a defendê-lo. Enquanto isso, a região Nordeste do país é a que registra maior desconfiança, com 64%.

Os jovens, de 16 a 24 anos, são os que mais desconfiam ou desaprovam o presidente, com 70%.

Saiba mais:  'Odeio o termo povos indígenas', diz Weintraub em reunião ministerial

Bolsonaro se sai menos pior com os mais ricos, grupo no qual vem perdendo apoio geral em pesquisas recentemente: 39% dos que ganham mais de 10 salários mínimos acreditam mais em sua versão.

    Veja Também

      Mostrar mais