A equipe técnica do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações realizou, nesta terça-feira (19), uma coletiva de imprensa para falar sobre as ações da pasta no combate ao novo coronavírus (Sars-coV-2), causador da Covid-19 . O evento aconteceu no Salão Oeste do Palácio do Planalto, em Brasília.

Leia também: Covid-19: Mortes em São Paulo chegam a 2.586 e casos passam de 31 mil

Marcos Pontes%2C ministro do MCTIC
reprodução / TV Brasil
Marcos Pontes, ministro do MCTIC

À frente da coletiva, o ministro Marcos Pontes revelou que o governo aprovou o investimento de R$ 358,2 milhões na pasta para o combate à Covid-19 : "É importante ressaltar que o governo federal, o presidente  Jair Bolsonaro e o congresso tem aprovado muitas ações de ciência, o que é lógico, já que vemos a ciência como a única arma que temos para vencer o inimigo, que é o vírus", iniciou ele.

Leia também: Laboratório diz ter descoberto anticorpo contra Covid-19 e vê ações subirem 170%

Ao todo, são 144 ações do MCTIC em andamento. Com brevidade, Pontes esclareceu que utilizou o investimento dividindo-o em três eixos: combate direto (teste de remédios, vacinas), combate aos impactos (soluções relacionadas a EPIs e desenvolvimento de ventiladores) e comunicações (interligação das unidades de saúde pública). 

"No setor de comunicações temos a necessidade de interligar as Unidades Básicas de Saúde. Eu tinha a expectativa de interligar as 16 mil unidades com mais rapidez, porém, tivemos algum atraso no Ministério da Saúde devido aos últimos acontecimentos, mas o processo está andando", declarou o ministro, que investirá 6,3 milhões do total nesse projeto.

A intenção é fazer com que todas os postos de saúde do Brasil compartilhem informações, sejam elas internas ou de pacientes. " Isso vai ficar como um legado para a saúde e para o país. Vai permitir que no futuro tenhamos telemedicina, exames mais rápidos, transporte de informações mais rápidos e enficientes, transporte de prontuários", declarou. 

"45 milhões vão ser aplicados no CNPEM, essa quantia será destinada a ensaios clínicos de fármacos - como já temos feito. Também terá a adequação do NB2, para NB3. Para quem não sabe, quanto maior esse número significa que o laborátorio tem condições de tratar de agentes bioquímicos com mais segurança, o que - por consequência - significa mais segurança para o pessoal que trabalha nessa área. Também iremos investir em um laboratório nível quatro, que será o primeiro deste nível da América Latina". 

Leia também: Covid-19: Mortes em São Paulo chegam a 2.511 e casos passam de 30 mil

Atualmente o Brasil contabiliza mais de 257 mil contaminados, óbitos devido à Covid-19 já são 16.941. O País é um dos principais focos do vírus no mundo, ultrapassando números de nações como Itália, China e Espanha, que já foram o epicentro da pandemia

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários