Flávio
Pedro França/Agência Senado
Investigação que envolve o filho do presidente foi encerrada pela Polícia Federal

O inquérito eleitoral que investigava possíveis crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) está perto de ser finalizado. Mesmo sem quebrar o sigilo do filho do presidente, a Polícia Federal do Rio de Janeiro encerrou as apurações e encaminhou o processo para o Judiciário com um pedido de arquivamento.  

Leia também: "Combate à corrupção não é prioridade do governo Bolsonaro", diz Moro a revista

Segundo informações divulgadas pelo jornal O Globo, tal pedido ocorreu ainda no mês de março e seguiu análise divulgada anteriormente de que nenhum indício dos supostos crimes haviam sido encontrados, mesmo que os sigilos fiscal e bancário de Flávio Bolsonaro tenham sido quebrados. 

As investigações, que começaram após notícia crime feita ainda em 2018, apuravam possíveis inconsistências na declaração de bens do senador ao longo das eleições de 2014, 2016 e 2018, como o fato de ele ser proprietário de um imóvel no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, mas ter atribuído valor diferente a cada divulgação.

Tal ação era investigada pelo Ministério Público do estado desde julho de 2018 com uma suposta forma de lavagem de dinheiro, que teria sido obtido por meio da devolução de salários de servidores de seu gabinete, a chamada "rachadinha", que foi divulgada recentemente pelo jornal The Intercept e que teria financiado prédios erguidos pela milícia com a ajuda do assessor Fabrício Queiroz.

Leia também: Quem vive e quem morre no Rio: protocolo definirá uso de leitos e respiradores

Anteriormente, o senador já havia tentando interromper o processo ao menos nove vezes e, ainda em fevereiro, o advogado Frederick Wassef, que atua na defesa de Flávio Bolsonaro , afirmou que o desfecho do caso "reforçava a inocência" e que os investigadores "entenderam que não havia indício de crime ou qualquer irregularidade e que, portanto, a denúncia não teria fundamento".

    Veja Também

      Mostrar mais