sala vazia
SAULO CRUZ / AGENCIA CAMARA
Câmara dos Deputados, Brasília

O governo comunicou a deputados federais que a "análise de currículo" das novas indicações do centrão a cargos tem um prazo de quinze dias úteis. Isso porque a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) faz uma espécie de pente fino no passado dos indicados antes de eles conseguirem seus espaços. Após esse trâmite de dez dias, o governo pode levar mais cinco dias para oficializar os nomes no Diário Oficial da União (DOU), totalizando 15 dias.

A conta-gotas, porém, as indicações devem começar a sair. Foi nomeado nesta quarta-feira no Recife (PE) um novo superintendente da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), por exemplo, indicado por André Ferreira (PE), líder do PSC na Câmara. Carlos Fernando Ferreira da Silva Filho entrou no lugar de um indicado de Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), que estava no posto há poucos meses.

Leia também: PGR pede inquérito contra Witzel sob acusação de que aliado desviou recursos

No início desta semana, líderes de partidos do centrão começaram a manifestar insatisfação com a demora do governo em nomear os indicados para uma série de cargos oferecidos pelo governo federal. Por outro lado, o governo também demonstra incômodo com a pressão de líderes partidários por cargos.

Interlocutores do Palácio do Planalto acusam os líderes de "usarem a imprensa" para pressionar o governo a agilizar nomeações em meio à pandemia do novo coronavírus.

    Veja Também

      Mostrar mais