Bolsonaro dá toque de mão em pastor em encontro, medida não recomendada pelas autoridades de saúde
Reprodução Facebook
Bolsonaro dá toque de mão em pastor em encontro, medida não recomendada pelas autoridades de saúde

O presidente Jair Bolsonaro voltou a minimzar os impactos do Covid-19. Na manhã desta quinta-feira (2), ele disse que o novo coronavírus "não é isso tudo que estão pintando" durante uma conversa com pastores, em Brasília. A conversa aconteceu enquanto os religiosos pediam a abertura de uma linha de crédito para as igrejas.

Leia mais: Alcolumbre está curado da Covid-19 e volta às atividades

Os líderes religiosos ficaram sem uma resposta de Bolsonaro . Ao invés disso, o presidente voltou a criticar os governadores que impuseram quarentenas em todo o país devido ao Covid-19 . "Vocês sabem da minha posição desde o começo", disse. "A segunda onda, do desemprego, vai ser terrível".

Leia também: Covid-19: Justiça suspende proibição da entrada de idosos em bancos no Rio

Bolsonaro alegou que está sendo massacrado pela mídia e que duvida que os governandores, durante a pandemia , façam visitas à regiões do Brasil como ele tem feito. "Eu fui em Ceilândia e Taguatinga no fim de semana passado e fui massacrado pela mídia . Duvido que um governador desses, Doria (de São Paulo), Moisés (de Santa Catarina), vá no meio do povo".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários