bolsonaro
Reprodução Facebook
Bolsonaro dá toque de mão em pastor em encontro, medida não recomendada pelas autoridades de saúde

O presidente Jair Bolsonaro voltou a minimzar os impactos do Covid-19. Na manhã desta quinta-feira (2), ele disse que o novo coronavírus "não é isso tudo que estão pintando" durante uma conversa com pastores, em Brasília. A conversa aconteceu enquanto os religiosos pediam a abertura de uma linha de crédito para as igrejas.

Leia mais: Alcolumbre está curado da Covid-19 e volta às atividades

Os líderes religiosos ficaram sem uma resposta de Bolsonaro . Ao invés disso, o presidente voltou a criticar os governadores que impuseram quarentenas em todo o país devido ao Covid-19 . "Vocês sabem da minha posição desde o começo", disse. "A segunda onda, do desemprego, vai ser terrível".

Leia também: Covid-19: Justiça suspende proibição da entrada de idosos em bancos no Rio

Bolsonaro alegou que está sendo massacrado pela mídia e que duvida que os governandores, durante a pandemia , façam visitas à regiões do Brasil como ele tem feito. "Eu fui em Ceilândia e Taguatinga no fim de semana passado e fui massacrado pela mídia . Duvido que um governador desses, Doria (de São Paulo), Moisés (de Santa Catarina), vá no meio do povo".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários