homem de toga
Carlos Moura/SCO/STF
Ministro Marco Aurélio, do STF

O pedido de afastamento do presidente Jair Bolsonaro do cargo, protocolado em forma de notícia-crime pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG), foi recebido pelo ministro Marco Aurélio de Mello e repassado à Procuradoria Geral da República na noite da segunda-feira (30).

A notícia-crime foi feita após “irresponsáveis declarações” do presidente Jair Bolsonaro sobre a epidemia de Covid-19 que assola o país desde o fim de fevereiro. "A peça pode levar ao afastamento do presidente por 180 dias ou mesmo à perda do mandato", celebrou o deputado nas redes sociais.

Leia também: "Ou o governo libera dinheiro ou o povo sairá para ganhar seu pão", adverte Lula

Agora, como a queixa não foi arquivada, a PGR, sob comando de Augusto Aras, deverá se pronunciar sobre o caso. Nem Bolsonaro nem o Palácio do Planalto se pronunciaram sobre o assunto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários