Governador de Goiás Ronaldo Caiado
Agência Brasil
Governador de Goiás Ronaldo Caiado

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirmou que é urgente que o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) tome medidas para garantir a alimentação da população, “se não tomar essa providência, aí as pessoas vão quebrar tudo, mesmo”.

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

“Como eu falo para o cidadão que a comida acabou? Essa é a urgência urgentíssima do momento. Se quisermos que as pessoas atendam a solicitação de ficar em casa, temos que dar condições para que elas fiquem em casa”, afirmou Caiado , em entrevista divulgada nesta segunda-feira (30) pela coluna Painel, da Folha de S. Paulo .

O governador de Goiás defende ser necessário realizar o “atendimento social rápido, urgente, emergencial” ou o governo estará dando “motivação para população promover desobediência civil para se alimentar e sobreviver”.

Caiado também se mostrou contra a campanha “o Brasil não pode parar” de Bolsonaro, que segundo ele é “de uma total insensatez para não dizer criminoso ”. 

“Tem que se pensar no cidadão que está igual barata tonta”, disse Caiado sobre as opiniões divergentes do presidente e do Ministério da Saúde, que diferem sobre o isolamento devido ao coronavírus

Leia também: De gripezinha a "não é tudo isso": vezes em que Bolsonaro minimizou coronavírus

“O que temos que provar são gestos para tranquilizarmos milhões de pessoas. Nós estamos nas nossas casas, com as nossas famílias, podemos manter tranquilidade da nossa família. E os outros?”, concluiu Caiado .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários