homem de máscara
Marcos Corrêa/PR
Jair Bolsonaro

Em conversa na frente do Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro negou que as relações com a China tenham ficado estremecidas com as declarações dadas por Eduardo Bolsonaro sobre o coronavírus e disse que entraria em contato com o governo chinês para pedir materiais de combate ao coronavírus.

De acordo com a agência de notícias Reuters, Bolsonaro afirmou que “se tiver que ligar para presidente da China, ligo sem problema nenhum” e disse que há material excedente de combate ao coronavírus no país, que deve ser requerido pelo Brasil em breve.

Leia também: Coronavírus: Pessoas que descumprem isolamento são presas e multadas na França

Na noite da quinta-feira (19), a embaixada da China no Brasil emitiu mais uma nota referente aos insultos do deputado Eduardo Bolsonaro. Nela, o órgão recusou a mediação feita pelo Ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e afirmou que aguarda as desculpas do filho do presidente.

Na mesma nota, a embaixada afirmou que as relações entre os dois países não estão estremecidas e que "de acordo com pedido do Ministério da Saúde do Brasil, estamos ajudando o país a adquirir os materiais médicos mais urgentes da China".

    Veja Também

      Mostrar mais