urna eletrônica
Agência Brasil
Eleições municipais devem ter candidatura de policiais militares

Em meio a pressões de agentes de segurança por reajustes salariais em pelo menos 14 estados, policiais militares articulam candidaturas a prefeituras de sete capitais do país em 2020. Há dez dias, o GLOBO mostrou como os movimentos corporativos de policiais nos estados por busca de melhores condições de trabalho tem aumentado a força política das categorias de Segurança Pública — que em 2018 registraram aumento de mais de 300% de participação no Legislativo federal e estadual.

As próximas eleições podem marcar um crescimento também no Executivo municipal. Em Fortaleza, capital do Ceará, estado que registrou um motim de policiais com duração de 13 dias, o deputado federal Capitão Wagner (PROS) desponta como um dos principais candidatos à sucessão de Roberto Cláudio (PDT), aliado dos irmãos Cid e Ciro Gomes. No Espírito Santo, que conviveu com uma paralisação de PMs em 2017, o deputado estadual Capitão Assumção (PSL), pré-candidato na capital Vitória, participou de atos da categoria por aumentos neste ano — o governo do estado entrou em acordo com os policiais, na última quinta-feira, e o reajuste será de 40%.

Leia também: Ministério Público do Rio move ação pelo tombamento do antigo prédio do DOI-Codi

Além das duas cidades, o jornal O Globo levantou as possibilidades de candidaturas do Pastor Sargento Isidório (Avante) à prefeitura de Salvador da major Denice Santiago, que teria sido sondada pelo PT, também para a prefeitura da cidade baiana. Em Florianópolis, o nome do coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes (PSL) é cotado.

Em João Pessoa, capital da Paraíba, o deputado estadual Cabo Gilberto Silva (PSL) pode ser o nome escolhido; já em Maceió, o deputado estadual Cabo Bebeto (PSL) pode ser o nome escolhido, a depender das brigas internas do partido. Em Goiânia, o Major Junio Alves Araújo (PSL) é o pré-candidato do partido.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários