Bolsonaro
Reprodução/Youtube
Presidente fez ataques aos veículos de imprensa e deu declaração homofóbica durante live desta quinta-feira

Nesta quinta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro realizou mais uma das suas já tradicionais lives para comentar os assuntos da semana. Entre ataques aos veículos de imprensa e divulgações de viagens, ele acabou fazendo um comentário homofóbico ao afirmar que "ser hétero virou qualidade" no Brasil.

Leia também: Bolsonaro vai visitar instalações militares dos EUA e deve jantar com Trump

"Hoje, um empresário começou a falar das qualidades do presidente. Honesto, trabalhador. Falou tanta coisa, faltou falar hétero. Eu falei 'hétero'. Passou a ser qualidade", disse Bolsonaro antes de questionar se o secretário da Pesca, Jorge Seif, que o acompanhava na live, também era hétero .

A declaração aconteceu enquanto os dois explicavam sobre a viagem que uma comitiva presidencial, que contará com os ministros Sergio Moro (Justiça) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), fará para o Rio Grande do Norte no próximo dia 12. Em determinado momento, Seif disse que a população daria " beijos héteros " no presidente , o que o fez contar a história do empresário.

Imprensa criticada novamente

Em dois momentos distintos da transmissão, Bolsonaro voltou a fazer críticas ao trabalho dos veículos de comunicação. Primeiro, disse ser "lamentável o que acontece com a imprensa brasileira" e que ela está ganhando "cada vez mais descrédito" por noticiar informações falsas. Para exemplificar sua análise, citou a questão do PIB, definida por ele como " mentira ": "empresário de São Paulo me disseram que está tudo bem".

Leia também: "É impressionante como a Receita atrapalha o Brasil", diz Bolsonaro

Na sequência, ao comentar participação em um programa da Rede Record, fez duras críticas ao jornal Folha de São Paulo, chamando o veículo de lixo e dizendo não entender como alguém ainda "anuncia nesse lixo ", e deu recado para os jornalistas que costumam cobrir suas declarações no Planalto.

"A gente está cansado de ver eles falando que eu ataco a imprensa todo dia. Vamos supor que você vai trabalhar e todo dia passa em um local que você é assaltado. O que você faz? Você pega outro caminho. Você não vai ficar apanhando no mesmo lugar. Se a imprensa diz que eu ofendo todo dia, o que eles estão fazendo todo dia ali?", disparou o presidente.

"Eles querem polêmica , querem vender. É porque o senhor dá ibope , esse é o problema", afirmou em resposta Seif. Na sequência, o presidente ainda completou: "enquanto não começar a divulgar a verdade, nós não vamos mais falar com a imprensa. Pode esquecer".

Por fim, antes de encerrar a live, ainda houve tempo para mais um ataque de Bolsonaro. Ele afirmou que os veículos "procuram frases para poder criticá-lo" e que está "chato viver no Brasil ".

Leia também: 1º ano de Bolsonaro tem crescimento abaixo da média registrada por Temer

"Nós estamos perdendo o direito de fazer piada . Tudo é politicamente correto no Brasil. Não pode contar uma piada porque tem que pensar: será que vou ofender os gordinhos, os carecas. O tempo todo assim. Torço para que a imprensa tenha um choque de realidade e comece a ter matérias sérias e verdadeiras", finalizou.

    Veja Também

      Mostrar mais