Senador Randolfe Rodrigues
Moreira Mariz/Agência Senado
Randolfe Rodrigues acusou Bolsonaro de ofensas machistas e misóginas

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição na Casa, vai entrar com representação contra o presidente Jair Bolsonaro na Procuradoria-geral da República (PGR) por quebra de decoro. O parlamentar decidiu entrar com o pedido após Bolsonaro reforçar as acusações de insinuação sexual feitas por Hans River do Rio Nascimento contra a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S. Paulo , em depoimento à CPMI das Fake News . A informação é da colunista Mônica Bergamo.

No documento que será encaminhado à Procuradoria, Rodrigues diz que Bolsonaro cometeu crime de quebra de decoro "em decorrência dos ataques misóginos e machistas". "Esperamos uma reação por parte do procurador-geral [Augusto Aras], que afinal é o fiscal da lei", escreveu o senador.

Leia também: Marina Silva chama Bolsonaro de "desprezível" e "machista"

Nesta terça-feira (18), Bolsonaro disse a jornalistas na frente do Palácio da Alvorada que a jornalista "queria dar um furo" em troca de informações que pudessem prejudicá-lo . A declaração do presidente faz referência ao depoimento de Hans River dado na semana passada. Na ocasião, o ex-funcionário da Yacows, empresa que prestou serviço de envio de mensagens em massa no WhatsApp em 2018, disse que a jornalista queria informações em troca de sexo.

A fala do presidente gerou comentários de diversos políticos e entidades, com alguns cogitando até a possibilidade de um impeachment.

    Veja Também

      Mostrar mais