homem sorrindo
Marcos Corrêa/Presidência
O presidente Jair Bolsonaro na entrada do Palácio da Alvorada

Em sua primeira manifestação pública após decidir realocar o ministro Onyx Lorenzoni da Casa Civil para a Cidadania, no lugar de Osmar Terra , o presidente Jair Bolsonaro fugiu de perguntas sobre as trocas na manhã desta quinta-feira. Insistentemente questionado sobre as mudanças na saída do Palácio da Alvorada, ele se limitou a apontar diversas vezes que os repórteres não as viram no Diário Oficial da União (DOU). E não respondeu quando as alterações serão oficializadas. Ele também não confirmou o convite ao general Walter Braga Netto para assumir a Casa Civil no lugar de Onyx, mas fez uma série de elogios ao militar e disse que ele é "cotado para qualquer coisa".

Depois de um hiato de cinco dias na interação com a imprensa na entrada da residência oficial, Bolsonaro se dirigiu aos jornalistas dizendo que a pauta única da entrevista seria o Amazonas, por estar acompanhado do deputado federal Átila Lins (PP-AM). Em seguida, deu uma justificativa o silêncio dos últimos dias:

"Não falei com vocês, se tivesse conversado com vocês nos últimos dias, estaria tudo complicado, um rebuliço, porque tudo é deturpado, inventado, lamentavelmente. Vocês sabem como é que é, né? Não é só vocês, são os editores", comentou.

Leia também: Incluir governadores no conselho da Amazônia "não resolve nada", diz Bolsonaro

Depois de falar sobre seus planos para a Amazônia, ele foi questionado sobre a ida do ministro Osmar Terra ao Amazonas nesta quinta e se ele continua no cargo.

"Porra, você viu alguma coisa no Diário Oficial da União?", devolveu Bolsonaro , sendo informado que se tratava de uma pergunta. "Eu te pergunto. É igual você, enquanto você for empregado do jornal aí, você é jornalista" completou.

Em seguida, o presidente foi indagado se garante a permanência de Terra e repetiu duas vezes: "Já viu publicada alguma coisa no DO?". Sobre o convite ao general Braga Netto para assumir o lugar de Onyx na Casa Civil, ele disse conhecê-lo "há algum tempo" e se dar "muito bem com ele".

Leia também: Em Roma, Lula discute com políticos da esquerda italiana sobre governo Bolsonaro

"Ganhou uma projeção muito grande numa situação complicadíssima, naquela intervenção na segurança do Rio de Janeiro, tá certo? É um homem cotado para qualquer coisa", declarou.

Em outro momento da entrevista, Bolsonaro foi instado a dizer quando vai oficializar as trocas na Casa Civil e na Cidadania. "Quando você vir... se tiver, quando você vir publicado no DO".

Um repórter então perguntou isso vai acontecer essa semana. "Se tiver, quando estiver publicado no Diário Oficial", insistiu o presidente. Quando foi questionado se a oficialização ocorrerá antes do Carnaval, Bolsonaro se irritou e ameaçou encerrar a entrevista. "Se tiver -terceira vez, na quarta eu vou embora-, se tiver você verá publicado no Diário Oficial da União. Se tiver a quarta eu vou embora...".

    Veja Também

      Mostrar mais