Bolsonaro
Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro voltou a se recusar a falar com a imprensa após um assunto polêmico.

O presidente Jair Bolsonaro encerrou abruptamente uma entrevista na qual falava da reação do Brasil ao coronavírus, na tarde desta sexta-feira, ao ser questionado se o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni , continua no governo. Acompanhado por quatro ministros, ele saiu de uma reunião no Palácio da Alvorada para atender a imprensa e disse estar pronto para conversar sobre o tema discutido no encontro.

Leia mais: Onyx chega a Brasília e diz que não considera deixar o governo

Quando uma repórter perguntou sobre a permanência de Onyx , quase 12 minutos depois, Bolsonaro interrompeu e disse que isso não é assunto e "não foi tratado aqui". Indagado em seguida quando iria encontrar o ministro da Casa Civil, o presidente disse que ele estava no palácio "agora há pouco". Onyx havia deixado o Alvorada pouco antes da saída do presidente.

"Bem, já que deturpou a conversa, acabou a entrevista. Obrigado, pessoal - declarou, encerrando a interação com os repórteres e passando a cumprimentar apoiadores que estavam no local".

As cenas foram transmitidas ao vivo pela página do presidente no Facebook. Bolsonaro então olhou para a câmara e falou aos espectadores:

"Ao pessoal que tá ouvindo aqui, a entrevista tratava exclusivamente da questão do coronavírus e quando começam outras perguntas, a gente sair fora porque o que nós queremos é solução para o Brasil, e não problema", comentou.

Em meio à crise que culminou na demissão do ex-secretário-executivo da Casa Civil, Vicente Santini, e na retirada do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da pasta, ao longo da semana, o ministro antecipou o fim das férias e retornou na manhã desta sexta para Brasília. Na chegada ao aeroporto, ele disse que não cogita deixar o governo.

Pouco antes do meio-dia, o ministro foi para o Palácio do Planalto, onde se reuniu com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno. À tarde, Bolsonaro publicou em edição extra do Diário Oficial da União um despacho oficializando a interrupção do afastamento de Onyx, prevista para durar até o próximo domingo. E o ministro foi participar de reunião no Palácio da Alvorada, sem falar com a imprensa.

Leia também: Carlos Bolsonaro ri após ser bloqueado por Dilma no Twitter

Na entrevista, Bolsonaro era acompanhado pelos ministros Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Ernesto Araújo (Relações Internacionais), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Fernando Azevedo (Defesa). Além deles, também participaram da reunião Augusto Heleno e Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência).

No Palácio do Planalto, conversas de bastidores indicam a possibilidade de uma minirreforma ministerial para dar uma "saída honrosa" a Onyx , que poderia migrar para o Ministério da Educação. Segundo relatos de auxiliares do presidente e de ministros, o titular da pasta, Abraham Weintraub , poderia migrar para a Secretaria-Geral e Jorge Oliveira iria para a Casa Civil. Até o momento, no entanto, Bolsonaro não se manifestou publicamente sobre a suposta articulação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários