Agnelo Queiroz arrow-options
Valter Campanato/Agência Brasil
Ex-governador Agnelo Queiroz (PT) teve os bens bloqueados


O ex-governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e o ex-vice-governador, Tadeu Filippelli (MDB) tiveram os seus bens bloqueados após uma liminar da juíza Acácia Regina Soares de Sá, da 7ª Vara da Fazenda Pública. O motivo é para que se dê prosseguimento à investigação sobre fraudes na construção da Arena Mané Garrincha, em Brasília.

Leia também: Justiça eleitoral mantém Agnelo Queiroz inelegível por oito anos

Construída para a Copa do Mundo de 2014, a Arena Mané Garrincha custou, segundo o Ministério Público do Distrito Federal, R$ 1,1 bilhão, valor 70% acima do previsto antes da obra.

Além de Agnelo Queiroz e de seu vice na época, empreiteiros da Via Engenharia, responsável pela obra, também tiveram os bens bloqueados.

Leia também: Ex-governadores e vice viram réus em ação sobre estádio da Copa

Por se tratar de uma medida cautelar, os réus não podem ser considerados culpados ou inocentes.

Governador do Distrito Federal de 2011 a 2015, Agnelo Queiroz é investigado pela justiça por ter negociado diretamente com a Via Engenharia fraudes na obra do estádio em troca de propina. O político do PT nega todas as acusações.


    Veja Também

      Mostrar mais