Tamanho do texto

Declaração do presidente aconteceu durante live nesta quinta-feira, quando falava sobre a aprovação ou não do 'fundão' eleitoral para a próxima eleição

Live arrow-options
Reprodução/Facebook
Durante live, presidente fez piadas gordofóbicas com a deputada do PSL

Durante a já tradicional live que faz toda quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro voltou a focar seu alvo em um nome já bastante atacado por ele: a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). Nesta quinta (9), sem citar o nome da parlamentar, ele a chamou de "fofucha" e disse que "mentir engorda".

Leia também: Frota chama Bolsonaro de "lixo humano" e diz que presidente não sabe ler

"São dois deputados, uma fofucha de São Paulo e outro meio japonesinho, também de São Paulo. Estão falando mentiras, que a lei nada diz sobre o impeachment, mas está bem claro. É para desgastar e criticar. Desgastar é mais fácil para esse tipo de gente. Se estivessem fazendo coisa boa, a primeira estaria mais magra e o segundo estaria menos 'pitoco' de sem vergonha. Porque mentir engorda", disparou Bolsonaro , quando falava sobre o 'fundão eleitoral'.

O ataque aconteceu após Hasselmann criticar a postura do presidente, que indicou que sancionaria o projeto sobre o 'fundão' com a justificativa de que poderia ficar sujeito a um processo de impeachment se não o fizesse, o que foi chamada de "mentira deslavada" pela deputada.

"Apanhei de um monte de gente. A lei do impeachment é bem clara. Se eu atentar contra o livre exercício das eleições... quem não quiser entender, fica falando 'veta, veta', me ameaçando de não votar mais em mim, paciência", acrescentou Bolsonaro.

Outro nome que foi atacado por Bolsonaro foi Samuel Moreira, deputado do PSDB, este citado nominalmente: "Me criticou, dizendo que eu defini que seriam R$ 2 bilhões. Não fui eu, foi a lei de 2017, e inclusive você, Samuel Moreira, votou a favor que o fundão fosse majorado. E você usou R$ 1 milhão do fundão em 2018. Não quero atacar ninguém, mas sou obrigado, porque fica mentindo a meu respeito. É pau mandado de alguém".

Leia também: "Insulto às vítimas", diz Irã sobre alegação de que míssil derrubou avião