Janaina Paschoal avalia que Flávio Bolsonaro 'cometeu peculato'
Marcos Alves/Agência O Globo
Janaina Paschoal avalia que Flávio Bolsonaro 'cometeu peculato'


A deputada estadual e jurista Janaina Paschoal afirmou, em entrevista publicada pelo Estado de S. Paulo nesta quinta-feira, que os fatos divulgados nos últimos dias indicam que o senador Flávio Bolsonaro cometeu peculato, termo jurídico referente ao desvio de dinheiro público. Ela não vê, no entanto, sinais de lavagem de dinheiro.

“Ao que tudo indica, infelizmente, o Flávio cometeu peculato e utilizou funcionários para desviar dinheiro público. Tecnicamente falando, não vejo a lavagem (de dinheiro), mas o peculato vejo. E ele tem que responder. O meu desejo é que o Ministério Público Federal faça com os outros naquela lista da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) o que está fazendo com o Flávio”, afirmou Janaina ao Estado de S.Paulo.

Leia também: Bolsonaro volta a surpreender turistas na Praça dos Três Poderes

O caso

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) deflagrou, no dia 18 de dezembro, uma operação de busca e apreensão em endereços ligados a Flávio Bolsonaro , ao ex-assessor Fabrício Queiroz e a outros ex-funcionários do senador.

A suspeita é de que o filho do presidente chefiava um esquema de desvio de dinheiro dentro da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) , onde atuou como deputado estadual entre 2007 e 2018. Uma loja de chocolates pertencente a Flávio e negócios imobiliários teriam sido utilizados para lavar dinheiro.

Leia também: Ao sancionar lei anticrime, Bolsonaro desagrada Moro e favorece Freixo

Crítica ao presidente

Durante a entrevista, Janaina Paschoal também questionou a decisão do presidente Jair Bolsonaro de fundar um novo partido, o Aliança Pelo Brasil. “Eu não achei inteligente abrir outro partido nesse momento e dividir sua base. Mas também disse que, se o presidente saísse do PSL, com a base e a ideia de governar para todos, eu o apoiaria. Ele nunca se ligou em partido, então acho que abrir esse Aliança (pelo Brasil) é trair a própria história”, avaliou a deputada.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários