Abraham Weintraub
Agência Brasil
Weintraub deixou publicação no ar por cerca de 10 minutos

O ministro da Educação, Abraham Weintraub , compartilhou, nas redes sociais, críticas ao presidente Jair Bolsonaro pela sanção da figura do " juiz de garantias ", incluída no pacote anticrime do ministro Sergio Moro pelo Congresso Nacional . Menos de dez minutos depois, o ministro apagou a postagem.

Weintraub retuitou uma postagem do youtuber Nando Moura na qual ele diz que Bolsonaro traiu o ministro Sergio Moro e afirma não haver "justiça neste país".

"Bolsonaro ao sancionar a emenda do FREIXO traiu não só o ministro Sérgio Moro mas TODO o povo brasileiro. Não existe mais nenhuma justiça neste país", diz o tuíte, compartilhado por Weintraub.

Leia também: Assessor de Weintraub diz que MEC tem "alguns talentos e muitos medíocres"

O ministro da Educação está de férias e afirmou que não vai se manifestar. Arthur Weintraub, assessor especial de Bolsonaro e irmão de Abraham, disse que o ministro “clicou errado” e está com a "internet intermitente".

"Evidente que clicou errado. Está viajando com internet intermitente. Fica fora do ar. Já tirou o RT", disse Arthur, também no Twitter.

Na tarde desta quarta-feira (25), Moro divulgou uma nota para reforçar sua posição contrária à figura do "juiz de garantias". Bolsonaro sancionou a lei do pacote anticrime com vetos a 25 dispositivos do texto aprovado pelo Congresso há duas semanas e manteve a criação do juiz das garantias, incluída pela Câmara dos Deputados. A decisão contraria Moro, um dos propositores do pacote.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários