Tamanho do texto

"Estamos discutindo isso por causa de uma única pessoa: Lula", disse a deputada, afirmando que não fez comentários antes por tema ser polêmico

tabata amaral arrow-options
Cleia Viana/Câmara dos Deputados - 27.3.19
Deputada Tabata Amaral disse durante evento, em São Paulo, que não comentou assunto com a imprensa por ser 'polêmico'.

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP) está entre os apoiadores da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 410, que determina a prisão após condenação em segunda instância. 

Leia mais: Aliança pelo Brasil vai tornar negociações com Congresso ainda mais difíceis

Durante uma palestra que ocorreu na sexta-feira (29), em São Paulo, a parlamentar disse que o tema é polêmico e complexo, por isso não havia se posicionado anteriormente para a imprensa. "Estamos discutindo isso por causa de uma única pessoa: Lula ", segundo a Veja

A autoria da PEC 410 foi do deputado Alex Manente (Cidadania-SP), que apoiou o endosso de Tabata Amaral. O deputado disse que o endosso mostra que a pauta de combate a corrupção e à impunidade não se limita à direita, "mas também abre espaço para uma esquerda responsável". Na visão de Manente, essa é uma junção importante para consolidar a pauta como de todos os brasileiros. 

Leia também: Eduardo Paes tira sarro de Bolsonaro com foto ao lado de Leonardo DiCaprio

O texto da Proposta de Emenda está em discussão na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, em Brasília , com previsão de ser votada entre fevereiro e março de 2020. O texto precisará ser votado em dois turnos na casa legislativa, por alterar a Constituição Federal. Após essa etapa, a lei segue para o Senado, onde também vai passar por votação em dois turnos. 

    Leia tudo sobre: LULA