A deputada federal Tábata Amaral (PDT-SP) disse que gestão de Weintraub está 'de braços cruzados'.
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
A deputada federal Tábata Amaral (PDT-SP) disse que gestão de Weintraub está 'de braços cruzados'.

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP) fez críticas à gestão do ministro da Educação, Abraham Weintraub . A pedetista considera 2019 um ano perdido na educação do Brasil, apontando a paralisia no planejamento e gestão do Ministério da Educação (MEC).

"Faz opções ideológicas todos os dias, diz publicamente que está mais preocupado em perseguir fulano e sicrano do que pensar na educação , e cruza os braços. Parece que não é com ele a situação da educação no Brasil", disse a deputada à Folha de São Paulo. 

Leia mais: "Tenho dificuldades seríssimas em muitas áreas", admite Bolsonaro

As críticas também se estenderam a PEC do Pacto Federativo , no qual o governo propõe a unificação do piso de gastos que a Constituição prevê para a saúde e a educação. Na perspectiva da pedetista, o direcionamento enfraquece a educação. "Quando se coloca educação e saúde no mesmo bolo, é evidente quem vai perder e quem vai ganhar". 

Você viu?

A aprovação de propostas no Congresso com o intuito de blindar o orçamento do MEC e elevar os repasses de emendas parlamentares para o setor também foram defendidos pela parlamentar.  "Claramente, este ano a gente perdeu. Tem de ficar em cima para tentar reverter o que der".

Leia também: "Brasil nunca passou tanta vergonha", diz Gleisi sobre denúncia contra Bolsonaro

Quando questionada sobre o trabalho de Weintraub, Tabata diz que sente que ele 'cruzou os braços'. "Em um momento que tem pouco orçamento, você não executa o orçamento que tem. Critica a ideologia que teoricamente baseia a alfabetização no Brasil, mas é incapaz de colocar outra no lugar".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários