Tamanho do texto

O ex-prefeito de São Paulo disse que seu desempenho nas eleições de 2018 não passou despercebido, mas que há outras personalidades emergindo

Haddad arrow-options
Ricardo Stuckert
O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, anunciou que não sairá como candidato em 2020.

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad , está encarando com otimismo a reaproximação de Marta Suplicy ao campo progressista. O petista admite que ela seria um nome significativo para a prefeitura paulistana nas próximas eleições.

Ao mesmo tempo, Haddad diz que não sairá como candidato em 2020, mas que o Partido dos Trabalhadores (PT) terá um nome próprio. As eleições de 2022 estão no radar do petista , que afirmou estar "à disposição de um campo político" no futuro. 

Leia mais: Moro encontrará líderes no Senado para tratar da segunda instância

"Tive um bom desempenho eleitoral. Na política, isso não passa despercebido. Mas há outras personalidades emergindo", disse em entrevista ao Valor Econômico. A respeito da candidatura de Marta, Haddad reforçou que é testemunha do apreço da ex-prefeita por Lula e que ela é um nome na cidade, por ter sido uma grande gestora. "Não sei se retorna ao PT. Ela está se aproximando do campo ao qual sempre pertenceu", comentou. 

Haddad afirmou ainda que o governo Bolsonaro é uma coalizão de minorias apaixonadas, que se somam com intersecções. "Há pesquisas falando que 17% a 20% dos brasileiros são a favor de uma ditadura no Brasil. Isso dialoga com parte de um sentimento popular que acha que a solução é a linha dura", contextualizou. 

Leia também: Bolsonaro defende 'GLO do campo' para ser utilizada em reintegrações de posse

Na visão do petista, o 'ultraliberalismo' de Guedes está a todo vapor, desmontando políticas sociais. "Existe uma matriz no Brasil hoje cada vez mais teocrática, que cultiva valores fundamentalistas, de intolerância em relação ao diferente."

    Leia tudo sobre: lula