Bolsonaro
Carolina Antunes/PR
Bolsonaro reiterou que o Aliança tinha poucas opções de número e que 38 seria fácil de memorizar.

O número 38 , usado para representar o Aliança Pelo Brasil nas urnas, já foi "escolhido" anteriormente por outra legenda em formação, o Partido Militar Brasileiro , que já está em fase final de tramitação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

"Não vamos abrir mão do número. Quem conseguir homologar primeiro fica com o 38", disse ao Estadão o deputado Capitão Augusto (PL-SP), que está encabeçando o surgimento da sigla. Nesta quinta-feira (21), Bolsonaro disse por meio de sua live oficial no Facebook que acha o "três oitão" é um bom número. "Tínhamos poucas opções, mas acho que 38 é um número mais fácil de gravar". 

Leia mais: Nova investigação contra Flávio Bolsonaro apura 'funcionários fantasmas'

O número, que faz referência ao calibre de um dos revólveres mais populares no país foi escolhido para representar o Partido Militar por meio de uma enquete voltada aos apoiadores. "Ganharam o 38 e o 64", disse Augusto ao Estadão. A segunda opção da legenda seria uma referência ao ano em que a Ditadura Militar se instaurou no Brasil: 1964 . Segundo o deputado, essa data marca "a revolução que salvou o país do comunismo".

O Partido Militar Brasileiro foi procurado por emissários de Bolsonaro como possibilidade de migração para o presidente após a saída do PSL. 

O número da legenda é escolhido no momento em que é protocolado no Tribunal Superior Eleitoral o Requerimento de Registro de Partido Político. Os dígitos podem ser escolhidos de 1 a 99 entre os que ainda não estão sendo usados por outras legendas já registradas. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários