Tamanho do texto

Segundo aliados, as obras teriam sido interrompidas após bens e contas bancárias do petista terem sido bloqueadas por investigações da Lava Jato

Lula arrow-options
Agência Brasil
As obras começaram em 2011, mas ainda estão em fase inicial devido a dificuldades financeiras de Lula.

Desde 2018 estão paralisadas as obras na chácara Los Fubangos, propriedade do ex-presidente Lula (PT) na zona rural de São Bernardo do Campo às margens da represa Billings. O local, que possui três mil metros quadrados e era muito frequentado pelo petista nos anos 90 teve sua reforma interrompida por falta de dinheiro. 

Leia também: Jovem é morto com 50 tiros de fuzil na fronteira com o Paraguai

O terreno foi comprado, em 1992, pela esposa de Lula, Marisa Letícia Lula da Silva, que faleceu em 2017. A reforma se iniciou em 2011, após o término do último mandato de Lula na Presidência, quando ele e sua esposa decidiram morar no local. 

Os planos para o imóvel incluem uma

casa de 380 metros quadrado, com três suítes, sala e cozinha com fogão e forno à lenha. As obras ainda estão em estado inicial, mas segundo José de Filippi Júnior – petista amigo de Lula,  ex-prefeito de Diadema e o engenheiro responsável pela obra – o ex-presidente já gastou cerca de R$ 200 mil com a reforma.

Leia também: Navio suspeito de derramamento de óleo voltará ao litoral brasileiro esta semana

Antes da renovação, havia no terreno uma pequena casa com um quarto onde cabia apenas uma cama. Em um espaço aberto, com paredes só nas laterais, havia também uma copa e área de cozinha. Até agora a reforma já realizou, terraplanagem do terreno –  do qual Lula recebeu uma multa de R$ 49,4 mil por não ter autorização para realizar a obra – remanejo da vegetação e estacas foram colocadas para dar base à estrutura de construção da nova casa.

As obras foram interrompidas após os bens e as contas bancárias do ex-presidente serem bloqueadas devido a investigações da Lava Jato . Segundo aliados de Lula, com os bloqueios, o petista teria ficado sem condições de comprar os materiais e contratar funcionários para a reforma.

Em 2017, Sergio Moro, então juiz federal, bloqueou cerca de R$ 600 mil de contas bancárias e R$ 9 milhões de planos de previdência privada e apreendeu quatro imóveis e dois veículos de Lula. O petista também não teve direito ao patrimônio de sua falecida esposa. 

Leia também: Moro no governo Bolsonaro afetou imagem da Lava Jato, diz chefe da operação

O substituto de Moro na Lava Jato, o juiz Luiz Antonio Bonat, também bloqueou $ 77,9 milhões em bens do ex-presidente, em julho de 2019. A decisão de Moro se baseou na investigação de palestras de Lula que teriam sido pagas por empresas envolvidas na operação. Já a de Bonat teve como base o processo que acusa o ex-presidente de receber R$ 12 milhões da Odebrecht. 

    Leia tudo sobre: Lula