Bebianno duvidou que Moro assumiria o cargo, mas afirma ter apoiado a escolha.
Agencia Brasil
Bebianno duvidou que Moro assumiria o cargo, mas afirma ter apoiado a escolha.

Antes de Jair Bolsonaro ganhar o segundo turno, o ministro da Economia Paulo Guedes já teria chamado o então juiz Sérgio Moro para assumir o posto de ministro da Justiça e Segurança Pública. A informação foi divulgada neste final de semana pelo ex-secretário-geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, para o jornalista Fabio Pannunzio.

Leia também: Jovem é morto com 50 tiros de fuzil na fronteira com o Paraguai

Bebianno afirma que até o segundo turno, Bolsonaro cogitava nomeá-lo para ministro da Justiça , mas tinha preocupações com seu humor. O então candidato à Presidência teria dito que o 'pavio' de Bebianno era muito curto. Ambos chegaram a conversar, mas não houve nada definitivo.

No dia do segundo turno das eleições, Paulo Guedes, já confirmado como ministro da economia, teria contado para Bebianno que Sergio Moro seria convidado para assumir o Ministério da Justiça. “Ele me contou que já tinha tido cinco ou seis conversas com o Sergio Moro e que ele estaria disposto a abandonar a magistratura e aceitar esse desafio como ministro da Justiça", relata.

Leia também: Navio suspeito de derramamento de óleo voltará ao litoral brasileiro esta semana

“No lugar dele, eu não abriria mão da minha carreira, da minha estabilidade enquanto magistrado , para migrar para uma missão tão turbulenta, numa vitrine tão grande, sem garantias de nada”, conta Bebianno . Ele explica que, na época, duvidou que Moro assumiria o cargo, mas afirma ter apoiado a escolha. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários