Tamanho do texto

Presidente do STF determinou que o Banco Central envie cópia de relatórios de inteligência financeira de 412,5 mil pessoas físicas e 186,2 mil jurídicas

Dias Toffoli arrow-options
Carlos Moura/ SCO/ STF
Dias Toffoli

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, determinou que o Banco Central enviasse cópia dos relatórios de inteligência financeira de pelo menos 600 mil pessoas, produzidos pela UIF (Unidade de Inteligência Financeira), antigo Coaf, nos últimos 3 anos. As informações são da Folha de S.Paulo.

Leia também: Bolsonaristas acusam Bivar de envolvimento na morte de ex-namorada

Ao todo, os dados aos quais Toffoli teve acesso são de 412,5 mil pessoas físicas e 186,2 mil jurídicas. O pedido foi feito no último dia 25, no mesmo processo em que o ministro suspendeu todas as investigações do País que usavam dados de órgãos de controle como o Coaf sem autorização judicial prévia, inclusive as de Flávio Bolsonaro. 

A justificativa é de que o ministro precisava entender o procedimento de elaboração e tramitação dos relatórios financeiros. A UIF, no entanto, afirma que existe “um número considerável de pessoas expostas politicamente e de pessoas com prerrogativa de foro por função” e que a medida traz uma série de riscos a investigações em andamento. 

Os relatórios contém informações sobre a existência de movimentações supostamente atípicas em instituições e bancos. De acordo com a Folha , há integrantes da família Bolsonaro e outras autoridades mencionadas nos relatórios.