Tamanho do texto

Movimento protocolou pedido afirmando houve incitação ao crime, terrorismo e atentado à Lei de Segurança Nacional nos discursos dos dois

Lula livre arrow-options
Agência Brasil
Em seu discurso após sair da prisão, Lula disse que além de se defender, é preciso atacar como o Chile está fazendo.

O Movimento Brasil Livre ( MBL ) pediu a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-ministro José Dirceu .

Uma representação foi protocolada pelo advogado Rubinho Nunes no Ministério Público Federal apontando incitação ao crime, terrorismo e atentado à Lei de Segurança Nacional nos discursos após a saída do petista da prisão na última semana. 

Leia mais: Deputados do PSL pedem prisão preventiva de Lula a Augusto Aras

"A gente tem que seguir o exemplo do povo do Chile, a gente tem que resistir. Na verdade, atacar e não apenas se defender", disse Lula durante um discurso feito em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. 

Segundo informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo, o documento também traz falas de José Dirceu ao deixar a cadeia na semana passada. "Eu estava na trincheira da prisão. Agora estou aqui de novo, na trincheira da luta. Agora não é Lula livre. Agora é para nós voltarmos e retomarmos o governo do Brasil. E para isso nós precisamos deixar claro que nós somos petistas, de esquerda e socialistas. Nós somos tudo o contrário do que esse governo está fazendo". 

Leia também: Bolsonaro ameaça usar Lei de Segurança Nacional para prender Lula de novo

Outras tentativas de fazer com que o ex-presidente petista retorne para a prisão foram realizadas por parlamentares do PSL. Nesta segunda-feira (11), os deputados Carla Zambelli (PSL-SP) e Sanderson (PSL-RS) entregaram um pedido de prisão preventiva nas mãos do procurador-geral da República, Augusto Aras . O senador Major Olimpio (PSL-SP) também deu entrada no mesmo pedido. 

De acordo com a Revista Fórum, Aras informou aos deputados do PSL que o pedido será encaminhado ao Ministério Público de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, local em que Lula tem residência fixa. 

Para o advogado de José Dirceu, Roberto Podval, "não é a liberdade ou a prisão que vai calar a voz dessas pessoas que são políticas. Não dá para um movimento procurar um Judiciário para calar as pessoas que contrariam a sua ideologia".


    Leia tudo sobre: LULA