Tamanho do texto

Líder do PSL no senado se baseou na Lei de Segurança Nacional para pedir a prisão do petista após discurso feito em São Bernardo no último sábado (9)

Lula arrow-options
Gibran Mendes / CUT Paraná
Lula foi solto na tarde da última sexta-feira (8).

 O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP) entrou com representação pedindo a prisão preventiva do ex-presidente Lula por “incitação à violência contra a ordem pública. O petista deixou a prisão na última sexta-feira (8) e fez discursos após a liberação, em Curitiba, e no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo.

Leia também: 'Segunda instância não é a única urgência do Brasil', diz Maia

No último sábado (9), Lula convocou os militantes para uma reação ao governo Bolsonaro e afirmou que é necessário “atacar”, e não apenas se defender. Além disso, o petista disse que recuperar o país é uma questão de honra e que o povo brasileiro devia se inspirar nos protestos que estão acontecendo no Chile.

Na representação apresentada a Augusto Aras , Olímpio se baseia na Lei de Segurança Nacional, que tipifica crimes contra o Estado, por incitar a subversão da Ordem Pública. Confira um trecho do documento encaminhado à PGR:

“Uma incitação desta natureza ultrapassa qualquer razoabilidade de liberdade de expressão e demonstra um projeto de poder que quer se utilizar da violência e da quebra da ordem pública para a proteção de criminosos”.

    Leia tudo sobre: Lula