Tamanho do texto

Saída do então secretário de Assuntos Estratégicos motivou a demissão de outros três militares que trabalhavam em serviços de inteligência

Santa Rosa arrow-options
Presidência da República
Santa Rosa chegou ao governo por meio do ex-ministro Gustavo Bebianno


A saída de militares do governo Bolsonaro não parou no ex-secretário de Assuntos Estratégicos, general Maynard Marques Santa Rosa. Motivados com a ação do chefe, outros três militares pediram demissão no final da última segunda-feira (4).

Leia também: "Tem que estudar como fazer", diz general Heleno sobre possibilidade do AI-5

Junto com Santa Rosa saíram Lauro Luís Pires da Silva, general de divisão do Exército, que era secretário especial adjunto; Ilídio Gaspar Filho,general de divisão, que era secretário de Ações Estratégicas; e Walter Félix Cardoso Junior,ex-assessor especial, subordinado a Lauro Silva. Os três militares tinham assumido os postos pelas mãos de Santa Rosa.

De acordo com pessoas próximas ao general Santa Rosa , ele decidiu sair do governo por desentendimentos com Jorge Oliveira.

General de quatro estrelas, Santa Rosa chegou ao governo Jair Bolsonaro pelas mãos do ex-ministro Gustavo Bebianno. Na ocasião, o governo divulgava que, sob o comando de Santa Rosa, a SAE voltaria a de fato traçar estratégias para a formulação de políticas públicas de longo prazo para a presidência da República.