Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) causou polêmica na Câmara na noite desta terça-feira (29), ao dizer que a "história vai se repetir" caso o Brasil tenha protestos como os do Chile. Parlamentares de oposição rebateram a declaração e afirmaram que o filho do presidente estaria "pregando" um golpe de Estado, fazendo referência ao período da ditadura militar.

Leia também: Armas e fake news: Relembre 5 polêmicas de Eduardo Bolsonaro nas redes sociais

Em discurso no Plenário, Eduardo Bolsonaro afirmou que a esquerda vai tentar trazer para o Brasil um movimento semelhante ao do Chile. "Essa galera está doida para voltar no poder para poder mamar de novo nas estatais, para mamar de novo nos fundos de pensão", disse o deputado. 

"Não vamos deixar isso vir pra cá. Se vier pra cá, vai ter que se ver com a polícia e se eles começarem a radicalizar do lado de lá, a gente vai ver a história se repetir, e aí é que eu quero ver como é que a banda vai tocar", ameaçou. 

O líder do PSOL na Câmara , Ivan Valente (SP), rebateu a fala do filho do presidente e o acusou de estar ameaçando a democracia. "Eduardo Bolsonaro pode ter o direito de defender as ideias neoliberais dele, mas ele não tem o direito de falar que vai ter golpe de novo aqui. Isso é pregação de golpe de Estado! Isso é golpe de Estado!", afirmou. 

Leia também: Caso Marielle: Bolsonaro diz que vai pedir a Moro para PF ouvir porteiro

"Isso é atentado à democracia, ao Estado Democrático de Direito, em caráter permanente, nas redes sociais, para arregimentar milícia virtual e milícia política, milicianos assassinos que estão lá no Rio de Janeiro, ligados a Queiroz e companhia", disse o deputado de esquerda.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários