Tamanho do texto

Em uma gravação feita por um deputado infiltrado em uma reunião do PSL, Delegado Waldir disse que o presidente é um "vagabundo"

Delegado Waldir arrow-options
Antônio Augusto/Câmara dos Deputados
Líder do PSL na Câmara foi flgarado dizendo que Bolsonaro é "vagabundo"

O líder do PSL na Câmara dos Deputados , Delegado Waldir (GO), recuou das críticas que ele fez ao presidente Jair Bolsonaro em uma gravação feita por um infiltrado em uma reunião da ala "bivarista" do PSL. "Isso já passou. Nós somos Bolsonaro . Somos que nem mulher traída, apanha, mas mesmo assim volta ao aconchego", afirmou nesta quinta-feira (17).

A gravação foi feita pelo parlamentar  Daniel Silveira (PSL-RJ) nesta quarta-feira (16) e flagrou Wadir dizendo que Bolsonaro é um "vagabundo" e que iria "implodir" o presidente.

Leia também: Líder do PSL diz que vai implodir Bolsonaro: "Sou o mais fiel a esse vagabundo"

“Eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Eu tenho a gravação. Não tem conversa, não tem conversa. Eu implodo o presidente. Acabou o cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo. Eu votei nessa porra. Eu andei no sol gritando o nome desse vagabundo”, afirmou o líder do PSL , que é ligado ao presidente da sigla, o deputado Luciano Bivar (PE) e fez críticas ao senador e também filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro .

Em outra parte do áudio, que tem cerca de nove minutos, um parlamentar não identificado reclama do tratamento dado por Bolsonaro a eles: "A gente foi tratado que nem cachorro desde que ele ganhou a eleição. Nunca atendeu a gente em porra nenhuma", afirmou.