Tamanho do texto

Filiados de partido em gestação são proibidos de fazer alianças com outros. Combater ideologia de gênero e evitar esquerda também é recomendado.

bolsonaro arrow-options
Divulgação
Eduardo Bolsonaro quer criar nova legenda, intitulada 'Conservadores' e levar o pai.

A iminente saída de Jair Bolsonaro do PSL coincide com a criação de uma nova legenda que abrigaria políticos alinhados com princípios ideológicos defendidos pelo presidente. Aliados do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) estão, inclusive, finalizando o estatuto desse novo partido , que seria batizado de Conservadores .

conservadores arrow-options
O Globo/Reprodução
Regras do novo partido intitulado 'Conservadores'.

 O GLOBO teve acesso à minuta da nova sigla, cuja as premissas a serem adotadas vão da  “moralidade cristã, a vida a partir da concepção, a liberdade e a propriedade privada”.

Leia mais: Conservadores: conheça o partido que Eduardo Bolsonaro quer criar e levar o pai

O texto defende ainda o direito à legítima defesa individual, combate à sexualização precoce de crianças e à apologia da ideologia de gênero e defesa do legado da “moralidade cristã e da civilização ocidental”. Filiados estarão proibidos de fazer alianças com partidos da “esquerda bolivariana”.

 Apesar dessa alternativa ser vista como menos provável, uma vez que levaria um tempo maior até ser viabilizada, os aliados já estariam já cogitando a coleta de assinaturas para fazer o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Leia também: Bolsonaro diz que assina prêmio para Chico Buarque até 2026

Outra possibilidade é Bolsonaro migrar para outra legenda. Algumas delas já começam a se movimentar na tentativa de atrair o presidente. A ideia seria desembarcar num partido menor para promover uma reforma interna. Siglas como o Patriota e a UDN — esta em vias de ser criada — são as opções mais prováveis no momento.

Bolsonaro reacendeu o debate sobre uma eventual mudança de partido nesta terça-feira ao ser flagrado criticando o PSL. Ele recomendou a um apoiador "esquecer o PSL" e disse que o presidente da sigla, Luciano Bivar , está “queimado”.