Homem falando cercado de homens
Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro assinou a lei contra abuso de autoridade, mas com inúmeros vetos

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (1) que "o interesse na Amazônia não é no índio nem na porra da árvore, é no minério". A afirmação ocorreu em discurso a garimpeiros de Serra Pelada (PA) em frente ao Palácio do Planalto, após Bolsonaro receber representantes do grupo.

Bolsonaro afirmou que irá divulgar um vídeo sobre a exploração do grafeno que, ajudaria a "abrir a cabeça da população", e voltou a criticar o líder indígena Raoni Metuktire , dizendo que ele não fala pelos índios.

“Esse vídeo é muito bom para abrir a cabeça da população de que o interesse na Amazônia não é no índio nem na porra da árvore, é no minério. E o Raoni fala pela aldeia dele, fala como cidadão, não fala pelos índios, não. É outro que vive tomando champanhe e em outros países por aí”, disse o presidente.

Leia também: Presidente do Incra e diretores do órgão devem ser demitidos por Bolsonaro

Os garimpeiros pedem uma "administração militar" da área. Eles fazem parte da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp).

Bolsonaro afirmou que enviará as Forças Armadas se houver amparo na lei. Ele disse que a situação será tratada pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e afirmou que quer dar uma resposta ainda nesta terça.

“Se tiver amparo legal, eu boto as Forças Armadas lá. Se tiver amparo legal, não vou prometer para vocês o que não posso fazer. Se tiver amparo legal, eu boto as Forças Armadas lá, a gente resolve esse problema aí”, disse.

Leia também: "Família Bolsonaro fazendo o mesmo ou pior do que a esquerda fez", diz Frota

Empresas estrangeiras, 'pelo que parece', pagam propina

O presidente afirmou que, "pelo que parece", empresas estrangeiras pagam propina para não terem crimes ambientais divulgados, mas não especificou a quais companhias estava se referindo.

“O mundo, muitas vezes, (fica) criticando o garimpeiro. Agora, a covardia que fazem com o meio ambiente, empresas de vários países do mundo fazem aqui dentro do Brasil , ninguém toca no assunto porque a propina, pelo que parece, pelo que parece, corre solta, pelo que parece.”

Bolsonaro também disse que a mineradora Vale cometeu um "crime" na década de 1990, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. “Esse é um país que é roubado há 500 anos. A gente conhece o potencial mineral do Brasil. Eu sei como a Vale do Rio Doce abocanhou, no governo FHC , o direito mineral no Brasil. O crime que aconteceu”, garantiu. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários