Tamanho do texto

Coligação de Bolsonaro alega que petista e Manuela D´Ávila teriam se aliado à Folha de S.Paulo para atacar a campanha presidencial; entenda

Fernando Haddad (PT) arrow-options
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Fernando Haddad (PT)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade, arquivar a ação do presidente Jair Bolsonaro contra o então adversário Fernando Haddad nas eleições de 2018. A coligação de Bolsonaro alega que o petista se aliou ao jornal Folha de S.Paulo para atacar sua campanha. 

Na época, a coligação de Bolsonaro argumentou que Haddad e sua vice, Manuela D´Ávila (PCdoB), teriam se aliado ao jornal para atacar a campanha através de uma reportagem que denunciou o impulsionamento de mensagens em massa contra o PT pelo Whatsapp. 

O relator da ação, ministro Jorge Mussi, determinou o arquivamento do processo e afirmou que não houve complô entre a campanha do petista e o jornal e que não há provas de que o conteúdo divulgado pela reportagem seja falso, criminoso ou difamatório. 

O ministro também destacou o princípio da liberdade de expressão, previsto na Constituição Federal, e da liberdade de imprensa, e afirmou que a reportagem ouviu o lado de todos os envolvidos no caso. 

Leia também: PF prende novos suspeitos em investigação sobre invasão do Telegram de Moro

“Essa circunstância, a meu sentir, afasta peremptoriamente a alegação de estratagema previamente discutida entre os investigados e por eles organizada para promover campanha contra Jair Bolsonaro”, finalizou o ministro.