Senadora Selma Arruda
Pedro França/Agência Senado - 15.5.19
Senadora Selma Arruda, conhecida como 'Moro de Saias'

A senadora Juíza Selma Arruda (PSL-MT), conhecida como "Moro de Saias", disse que recebeu uma ligação de Flávio Bolsonaro (PSL) mandando que ela retirasse a assinatura de apoio a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lava Toga. 

Leia também: Flávio Bolsonaro se une a senadores de PT e MDB para lutar contra a Lava Toga

Em entrevista à Folha de S.Paulo , a senadora afirmou que Flávio Bolsonaro chegou a gritar com ela no telefone no último dia 21. "Ele estava um pouco chateado. Alguém disse para ele que nós tínhamos assinado uma CPI que iria prejudicar ele e ele falou comigo meio chateado, num tom meio estranho. Eu me recuso a ouvir grito, então, desliguei o telefone", contou. 

Selma disse ainda que também foi procurada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). "A pressão vem de todo lado. A gente sofre um bombardeio. Ontem [quarta-feira, 11], um dos senadores que assinou também relatou que está sendo pressionado. Mas, das pessoas que assinaram, a mais vulnerável sou eu porque tenho um processo na Justiça. Fico sendo sempre a mais atingida", relatou. 

Questionada se havia recebido algum recado depois que deixou claro que tentaria inviabilizar a CPI da Lava Toga , Selma citou a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge: "Todo dia recebo um. Acho que o recado da Raquel Dodge foi o mais claro". 

A PGR assinou um um parecer nesta terça-feira (10), em que defende a cassação do mandato da senadora por abuso de poder econômico e caixa dois. Selma, no entanto, diz que está sendo acusada por algo que fez na pré-campanha. 

Ainda em entrevista ao jornal, a "Moro de Saias" reafirmou a possibilidade de sair do PSL . Na terça-feira, a senadora já havia divulgado nota em que informou que estava avaliando a saída do partido por conta de pressões pela derrubada da Lava Toga. "Estou cogitando ainda, conversando com alguns partidos. Mas não pretendo sair da base do governo", reiterou. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários