Tamanho do texto

Indicação de Aras para o comando da PGR já está tramitando no Senado; senador investigado pela Lava-Jato será o relator da análise da indicação

Aras arrow-options
Roberto Jayme/Ascom/TSE
Indicado à PGR, Aras está em busca de apoio no Senado.

Na procura por votos de senadores para a aprovação de sua indicação para o comando da Procuradoria-geral da República (PGR), Augusto Aras defendeu um “Ministério Público Moderno”. Entretanto, ele não deu detalhes de suas propostas para a instituição.

Leia também: Após melhora, Bolsonaro planeja reassumir a Presidência nesta sexta-feira 

“Eu tenho apenas conversado com os senadores sobre nosso pensamento a cerca do  Ministério Público moderno capaz de atender as grandes necessidades do  Brasil novo, do Brasil que exige não somente combate à corrupção,  mas também exige o destravamento da economia”, afirmou Aras .

A indicação de Aras para a PGR já começou a tramitar oficialmente no Senado. Uma análise será feita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e terá como relator o senador Eduardo Braga (MDB-AM) – investigado na Lava-Jato. Em busca de apoio para sua indicação, Aras jantou com a bancada do PP na casa do senador Ciro Nogueira (PI) – que também é investigado na Lava-Jato – em Brasília.

Após a votação na CCJ do Senado, Aras terá que ser aprovado pelo plenário da Casa e precisará do voto da maioria absoluta. Ou seja, o subprocurador precisará de, ao menos, 41 votos da casa.