Delação premiada de Antonio Palocci
Reprodução
Lava Jato disponibiliza vídeo da delação de Antonio Palocci


Em vídeo disponibiliado nesta terça-feira (3) pelo juiz Luiz Antonio Bonat, da Operação Lava Jato, o ex-ministro Antonio Palocci faz uma nova delação em que informa como se deu a negociação de dívidas de empresas que pagavam caixa dois ao PT junto à Receita Federal. No relato, o ex-ministro da Fazenda revela que negociou diretamente com o Superior Tribunal de Justiça.

Leia também: "Dinheiro sem limites", diz Palocci sobre propinas para Lula e PT

“A Odebrecht combinou com Guido Mantega e me informou na época de pagar R$ 50 milhões por conta dessa operação. A Companhia Siderúrgica Nacional combinou e pagou R$ 14 milhões. Também Rubens Ometto pagou”, disse Palocci na delação.


O caso aconteceu em 2009, ano da crise econômica mundial e se referia a dívidas da Odebrecht e da CSN que chegavam, segundo o ex-ministro, em até R$ 200 bilhões.

Leia também: PF mira propina a Palocci e Mantega em nova fase da Lava Jato

De acordo com a delação, Palocci conversou com o ministro Luiz Fux, então presidente do STJ, para que essa dívida deixasse de se cobrada, por se tratar de uma legislação extinta. 

Em troca, em 2009, essas empresas fizeram propostas de pagamentos para as campanhas do PT nas eleições do ano seguinte, 2010. Na época, a Odebrecht foi uma das principais doadoras para a campanha de Dilma Rousseff à presidência.

    Veja Também

      Mostrar mais